Lavrando Pa
Pesquisa

Droga - Para para pensar!
Por André Silva (Aluno, 8ºA), em 2018/01/2385 leram | 1 comentários | 20 gostam
Nas aulas de EDCSA, a droga foi tema de debate e de reflexão.
Nestas três últimas semanas, nas aulas de EDCSA estivemos a ouvir a senhora enfermeira Eduarda Barros, da ULS de Leça da Palmeira, sobre substâncias psicoativas, no âmbito do projeto “Refletir para não consumir”.
Na primeira aula,preenchemos um questionário sobre os nossos conhecimentos acerca das drogas. A enfermeira esteve a explicar como é que as drogas entraram em Portugal e a importância que algumas tiveram nos tratamentos médicos, nomeadamente, para os doentes aguentarem as dores .
Na segunda aula, fizemos um jogo interessante. Havia três amigos: dois deles fumavam um charro e o outro assistia. Esses dois alunos foram apanhados a fumar e iam sofrer as consequências. Então, nós tivemos que arranjar soluções para os ajudar e/ou castigar, por isso, dividimo-nos em grupos de três ou de quatro elementos. Uns eram professores, outros membros do conselho diretivo, da Associação de Pais, da Associação de Estudantes ou auxiliares. Assim, percebemos que o consumo de drogas é um problema que deve ser debatido por toda a gente, para arranjar uma solução.
Na terceira e última aula, falamos sobre a diferença entre "decisão" e "ato impulsivo". Para decidir temos que pensar, enquanto o ato impulsivo é feito sem refletir.
Também vimos um vídeo sobre pessoas que consumiram droga muito cedo e a maior parte tinha características comuns: foram amigos ou familiares que lhes deram a droga para experimentar quando tinham 12, 13 ou 14 anos; estavam convencidos que experimentar não fazia mal, pois não ficavam dependentes e que em qualquer altura podiam deixar a droga. Claro que estavam enganados. Essas pessoas também contaram as consequências da droga que consumiam: Tinham dificuldade em concentrar-se, ficavam cansados e lentos. Por causa da droga disseram que de bons alunos passaram a ser maus alunos. Outros disseram que mentiam e enganavam as famílias e os amigos, até chegaram a roubar por causa da droga. Em seguida, vimos outro vídeo sobre as metamorfoses que os toxicodependentes sofrem, isto é, pessoas jovens e saudáveis ficam velhas e doentes, rapidamente.
Destas aulas com a senhora enfermeira Eduarda Barros retirei duas ideias importantes:
1º- devemos pensar antes de agir;
2º não devemos ter vergonha de dizer “Não”.
No fim, estivemos a preencher o mesmo questionário sobre os nossos conhecimentos acerca das drogas. Eu verifiquei que tinha mudado algumas respostas, como por exemplo, já não acho normal experimentar drogas e nunca vou aconselhar um amigo ou familiar a fazê-lo.


Comentários
Por Alzira Carvalho (Professora), em 2018/02/02
Parabéns, André. Adorei este teu artigo. Está muito bem escrito, bem desenvolvido...brilhante!

Escreva o seu Comentário