Lavrando Pa
Pesquisa

A arte de descrever no 9.º ano
Por Isilda Monteiro (Professora), em 2017/03/22234 leram | 0 comentários | 141 gostam
No âmbito de "A arte de descrever", a Catarina Bizarro foi a vencedora do concurso de escrita.
Estava um dia solarengo e tranquilo. Mesmo por baixo do comboio comprido e vermelho, que segue o seu rumo carregado de passageiros no seu interior, é visível um rio de águas cristalinas. Não sei se a água é tão límpida já de si, ou se são os fracos raios de sol que nela embatem que a fazem parecer um cristal de cor azulada.
Se erguermos as nossas cabeças, podemos avistar altas montanhas salpicadas com mantos brancos de neve. Quando os raios de Sol vão de encontro a ela, refletem-se e proporcionam-lhe um brilho inconfundível.
O silêncio reinava toda aquela paisagem, com exceção do constante barulho do comboio a passar nos carris. Era um barulho deslocado do contexto da natureza, mas ali parecia encaixar-se na perfeição. E ainda era possível ouvir-se a brisa a cantar por entre a relva verde e a fazer a água mover-se lentamente, como se estivesse a dançar ao som dos pequenos barulhos da natureza.
Aquela paisagem é capaz de proporcionar uma série de emoções. O ar é puro e dá uma sensação de liberdade e paz.Transmite-nos harmonia e felicidade.
Catarina Bizarro, 9.ºA


Comentários

Escreva o seu Comentário