Lavrando Pa
Pesquisa

Um Pai Natal Solidário - 6.º ano
Por Francisco Peres (Professor), em 2015/12/18690 leram | 0 comentários | 331 gostam
CONCURSO DE ESCRITA - 2015/16 - Uma vez mais os nossos alunos abriram as portas da imaginação e revelaram grande criatividade.




   Numa noite, conhecida também por véspera de natal, o Vicente, um menino de cinco anos estava com a sua família em casa. Era uma casa humilde, simples e bastante confortável. Na sala havia uma grande árvore de Natal que iluminava a casa toda, tinham a mesa cheia de doçuras e, naquele momento, estavam todos sentados à beira da lareira. A dado momento, a mãe do menino disse que estava na hora de dormir e que o Vicente tinha de ir para a cama. E como era habitual, a mãe começou a ler uma «história de embalar» e naquele dia a história intitulava-se «O Pai Natal Solidário»:
   «Era uma vez, no natal do ano 3000 e como era habitual os duendes estavam muito atarefados: uns ligavam as máquinas, outros embrulhavam os presentes e outros colocavam os presentes no trenó.
   No dia 23 de dezembro, como estava programado todos os presentes seriam acabados numa máquina especial. Então, os duendes levaram os presentes para essa máquina, mas houve um corte de luz e a máquina parou. Todos ficaram assustados, até o próprio Pai Natal, pois só tinham 12 horas para levarem os presentes… até que o Pai Natal teve uma brilhante ideia:
   - Eu tenho alguns brinquedos que me foram dados quando era pequenino e que são especiais para mim, mas as crianças de todo o mundo ainda conseguem ser mais importantes, por isso, ofereço-lhes estes brinquedos.
   - Boa! Viva o Pai Natal! - gritaram os duendes.
   Depois, foram todos dormir, exceto o Pai Natal que sabia que os brinquedos não eram suficientes. Então, decidiu ir fazer os presentes: pegou num martelo, arregaçou as mangas, ajeitou a sua gorda barriga e começou.
   Num instante, o Pai Natal construiu com as suas próprias mãos, milhões de brinquedos prontos para serem entregues às crianças.
   Quando acordaram, os duendes ficaram espantados com a habilidade do Pai Natal. O Natal não seria um fracasso!
   E o Pai Natal deu os seus brinquedos de infância a cada um dos duendes. E assim todos satisfeitos e felizes entregaram os presentes em todas as casas, a todas as crianças! FIM.»
   - Boa noite, Vicente. Dorme bem. - disse a mãe.
           
         Margarida Martins Ribeiro Pimenta, n.º11, 6.ºB


Comentários

Escreva o seu Comentário